O FUTURO DO TRABALHO CHEGOU?


 

INFOGRÁFICO #245

Sabe aquele trabalho monótono, rotineiro e bem padronizado? Nas economias mais avançadas, como a Coreia do Sul e o Japão, eles estão sendo cada vez mais ocupados pelos robôs.

Homem vs. Máquina: A escassez de mão-de-obra associada às baixas taxas de natalidade tem levado as empresas na Ásia a adotarem a automatização.

A Coreia do Sul, inclusive, foi o país que mais adotou robôs industriais no mundo em 2021, com aproximadamente 1.000 robôs para cada 10.000 operáriosVeja o ranking:

Ainda sobre a Coreia, seu mais “poderoso” robô tem a capacidade de carregar até 25 quilos e é adequado para galpões logísticos.

Nos Estados Unidos, tem chamado atenção, os investimentos da Amazon. A varejista do Tio Jeff já tem mais de 750.000 robôs trabalhando em colaboração com os seus funcionários.

Outro bilionário de olho é Elon Musk. Em 2022, ele apresentou o protótipo do Tesla Bot e afirmou que, ao longo do tempo, os robôs podem até ser um negócio mais significativo para a Tesla que o de veículos.

O motivo: Pense que há diversos usos, tanto domésticos como industriais, para eles.

No entanto, o número de robôs industrias comprados por empresas na América do Norte teve uma queda de 30% em 2023 na comparação ano a ano.

  • O total de pedidos (31.159) também ficou abaixo do número de 2021.

  • O segundo trimestre do ano passado também ficou marcado por um declínio de 37% em relação ao mesmo período de 2022.

Estes números lançam um pouco de água fria sobre o que tem sido considerado uma indústria em alta, que remonta pelo menos ao início da pandemia.

Maaaaas… Vale a pena lembrar que 2021 e 2022 trouxeram recordes de vendas para a indústria. Ou seja, alguma regressão era provavelmente inevitável.

Já na Europa, os robôs industriais estão em alta. Foram cerca de 72 mil unidades instaladas em 2022, o que representa um aumento de 6% em relação ao ano anterior.

Até onde vai essa história?

Segundo a diretora-geral do FMI, Kristalina Georgieva, a Inteligência Artificial deve afetar 60% dos empregos nas economias desenvolvidas e 40% nas economias emergentes — como o Brasil.

  • Em algumas situações, a tecnologia vai auxiliar no trabalho e não substituí-lo. É o caso de cirurgiões, advogados e juízes, por exemplo.

  • Já os empregos de alta exposição a tecnologia, mas com baixa complementaridade, serão mais afetados, como o telemarketing.

No entanto, indústrias como a da aviação já mostram como os robôs e humanos ainda trabalham muito bem juntos. Hoje, os fabricantes de aviões usam robôs para pintar as asas dos aviões.

Pra se ter uma ideia, essas máquinas conseguem aplicar uma camada de tinta em 24 minutos, algo que um pintor humano levaria horas para realizar.

Falando em pintura… Olha esse vídeo do robô manicure da empresa americana Clockwork.

YouTube video by IBTimes UK

Clockwork, The New AI Powered Nail Painting Machine

Ela fechou um acordo com a varejista Target para já incluir seus robôs em seis lojas nos EUA. Não tem jeito… É o futuro cada vez mais próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e Compartilhe com seus amigos!

.
Cupom de 35% OFF na Pós-Graduação Intensiva (Código: QUERO35)